Turismo

Natureza, história e diversidade

Com cerca de 50 km de praias, rico acervo histórico e diversidade cultural, Salvador possui muitos atrativos para os turistas. A orla conta com opções variadas, desde a praia do Porto da Barra, com águas quentes e calmas ideais para um banho em família ou a prática de esportes como canoagem stand up e mergulho, até a Praia do Flamengo, com opções para o surf. Na Rubeira, o visitante pode comer um petisco de fruto do mar sob uma amendoeira ou provar o sorvete da tradicional Sorveteria da Ribeira.

 

O turismo histórico conta com um acervo composto de igrejas seculares, como a Catedral da Sé, São Domingos, Ordem Terceira de São Francisco e Rosário dos Pretos (Pelorinho), a primeira sede do governo na colônia, o Palácio Rio Branco, fortes e fortalezas, centros de compras, como o Mercado Modelo, o Mercado do Peixe e o Mercado do Rio Vermelho (antiga Ceasa), além do primeiro grande elevador urbano do mundo, o Elevador Lacerda.

 

Na diversidade cultural, Salvador sedia diversos grupos e entidades, que preservam e divulgam a cultura afro-brasileira através da música, dança, capoeira e artes plásticas. A religião de origem africana mais presente, o Candomblé, possui dezenas de terreiros, alguns com programações comemorativas abertas ao público, e o ciclo de festas de Salvador ocupa grande parte do ano celebrando o sincretismo religioso e a comunhão entre o sagrado e o profano.

 

Aqui no site Cidade da Bahia você pode encontrar algumas informações importantes para visitar Salvador, além de conferir os principais pontos turísticos, obter dicas de passeios e saber as festas e atrações culturais em cartaz na cena soteropolitana. Bem vindo e boa estadia.

PRINCIPAIS PONTOS TURÍSTICOS

Elevador Lacerda

Inaugurado em 8 de dezembro de 1873, o Elevador Lacerda foi chamado inicialmente de Elevador Hidráulico da Conceição. Com 63 metros, foi o primeiro elevador urbano do mundo e ganhou o nome definitivo de Lacerda em 1896. A segunda torre, avançada, com mais dois elevadores, deu a partir de 1930 a configuração atual do elevador.

 

Mercado Modelo

O antigo Mercado Modelo, inaugurado em 1912, surgiu pela necessidade de um centro de abastecimento na Cidade Baixa de Salvador. Destruído por um incêndio em 1969, passou a funcionar, desde 2 de Fevereiro de 1971, no edifício da Alfândega de Salvador, uma construção de 1861 em estilo neoclássico. Hoje abriga comerciantes de artesanato e de produtos típicos.

 

Pelourinho

O Pelourinho, apelidado de Pelô, é um dos mais antigos bairros de Salvador. Recebeu o nome em referência a um lugar de castigo para criminosos e escravos existente no largo principal, o Terreiro de Jesus. Abrigou as famílias mais ricas e as melhores construções da cidade até o início do Século XX. A partir dos anos 1950, sofreu um forte processo de degradação, com a modernização da cidade e a transferência de atividades econômicas para outras regiões da capital baiana, o que transformou aquela região do Centro Histórico em uma zona pouco valorizada, tornando-se local de prostituição, moradia popular e também reduto da cultura negra da cidade. Considerado Patrimônio Histórico da Humanidade, foi alvo de um programa de revitalização e reurbanização partir do início dos anos 1990, que incluiu a desapropriação de moradores e recuperação de fachadas e prédios para a instalação de bares, lojas, pequenos comércios e escolas.

 

Farol da Barra

Com 22 metros de altura, o Farol da Barra (Farol de Santo Antônio), datado de 1839, é um símbolo e um cartão postal da cidade. Neste ponto turístico está instalado o Museu Náutico da Bahia, que conta um pouco da história da navegação e dos grandes naufrágios nas águas da Bahia. É um dos melhores lugares da cidade para contemplar o pôr do sol.

 

Forte São Diogo

O Forte de São Diogo é a principal construção do período colonial com o objetivo de proteger Salvador de invasões armadas. Situado na Barra, tinha, em conjunto com a Fortaleza de Santa Maria, a tarefa de impedir desembarques na praia do Porto da Barra. A sua construção remonta ao Governo Geral de D. Diogo de Meneses Siqueira (1609-1613). De suas muralhas descortina-se uma bela e ampla visão da Baía de Todos os Santos. Atualmente encontra-se sob a guarda do Exército Brasileiro.

 

Fortaleza de Santa Maria

Como o Forte de São Diogo, foi erguida a partir de 1614 com risco do engenheiro-mor e dirigente das obras de fortificação do Brasil, Francisco de Frias da Mesquita (1603-1634). Abriga exposições e atividades culturais, possuindo uma excelente vista para o mar e para o litoral de Salvador.

 

Solar do Unhão

Prédio principal do conjunto arquitetônico que abriga o Museu de Arte Moderna (MAM) de Salvador. O terreno onde se encontrava a fonte foi legado por Gabriel Soares de Souza aos padres beneditinos em 1584. Em 1690, residiu no local o Desembargador Pedro Unhão Castelo Branco, que vendeu a propriedade, em 1700, a José Pires de Carvalho e Albuquerque (o velho), que ali estabeleceu morgado, conduzindo a propriedade à sua fase áurea: datam do século XVIII os painéis de azulejo português e o chafariz. A primeira referência à capela data de 1740, por ocasião do batizado de uma de suas netas.

 

Dique do Tororó

Tombado pelo Patrimônio Histórico, surgiu a partir do represamento da nascente do Rio Urucaia como parte da defesa do limite norte da antiga capital da colônia. Alguns historiadores dizem que começou a ser construído pelos governos gerais entre o final do Século XVII e meados do Século XVIII. Outras fontes, no entanto, atribuem sua construção aos holandeses, durante período de ocupação da cidade. As suas águas contornavam a cidade desde o forte do Barbalho até o forte de São Pedro, mas com o desenvolvimento urbano da cidade algumas partes foram aterradas e deixaram de existir. Abriga um importante conjunto de esculturas de Tati Moreno que retratam os orixás do Candomblé.

 

Arena Fonte Nova

Ocupa o lugar do antigo estádio, inaugurado em 1951 com capacidade estimada em 30 mil torcedores e depois ampliada com a construção do anel superior para algo em torno de 80 mil pessoas. A antiga Fonte Nova funcionou desde então até seu fechamento, em 2007, por conta do grave acidente que ocorreu no estádio, com o desabamento de parte da arquibancada.

A decisão foi demolir o antigo estádio e construir um novo, que atendesse aos padrões da Fifa para a Copa de 2014. A demolição total aconteceu em 29 de agosto de 2010 e a nova Arena foi inaugurada no dia 5 de abril de 2013, após 2 anos e 8 meses de obras.

 

Palácio Rio Branco

Antigo Palácio do Governo, começou a ser construído pelo primeiro governador-geral do Brasil, Tomé de Sousa, em meados do Século XVI, para ser a sede da administração portuguesa, e sofreu várias transformações ao longo dos séculos.

Receba nossas atualizações

  • Cidade da Bahia
  • Ícone do Facebook Branco

© 2019 por Escriba Comunicação & Consultoria. Criado com Wix.com