• Cidade da Bahia

Petróleo pode ter vazado de navio grego


No dia em que manchas de petróleo voltaram a ser registradas em Salvador, nas praias de Stela Maris e do Flamengo (foto), a Justiça autorizou a busca e apreensão de documentos em duas empresas ligadas à proprietária do petroleiro Bouboulina, de bandeira grega. A embarcação foi apontada também nesta sexta-feira, 1º de novembro, como principal suspeita pelo derramamento de petróleo cru que atingiu o litoral nordestino.


Conforme a investigação comandada pela Marinha, o navio atracou no porto de Jose, na Venezuela, no dia 15 de julho. Três dias depois, já carregado com cerca de 1 milhão de barris de petróleo tipo Merey 16 cru, deixou a costa venezuelana rumo ao sudeste. No dia 23 de julho chegou à costa brasileira, passando pelo Amapá. Entre os dias 28 e 29, segundo a investigação da Polícia Federal, teria dado início ao que é o maior desastre a atingir as praias do Brasil.


Ao autorizar buscas e apreensão em duas empresas com sede no Rio, o juiz Francisco Eduardo Guimarães Farias, da 14ª Vara Federal de Natal, escreveu que o objetivo é apurar se o navio grego Bouboulina tentou contato com empresas com quem teria acordos no Brasil. Foram alvos da operação da Polícia Federal, em decorrência da autorização judicial, as empresas Lachmann e Witt O'Brien's. As investigações apontaram vínculos entre essas firmas e a Delta Tankers, dona do navio mercante grego, que não tem sede no Brasil.


As novas manchas de petróleo em Salvador foram constatadas nas proximidades da Escola Sulamericana, na Praia do Flamengo, e do Grand Hotel Stella Maris, no bairro de mesmo nome. Mais de 75 agentes de limpeza, além de grupos de voluntários, trabalharam na limpeza do óleo no local. Desde o dia 18 de outubro não havia registro da chegada desse resíduo na orla soteropolitana.


A Empresa de Limpeza Urbana de Salvador (Limpurb) informou que retirou nesta sexta-feira uma tonelada e 260 quilos do resíduo nas praias. Até quinta-feira (31), a Limpurb havia retirado um pouco mais de 108 toneladas desde o dia do aparecimento das manchas em Salvador, em 10 de outubro.


*Fotos Públicas/Secom/Salvador

Receba nossas atualizações

  • Cidade da Bahia
  • Ícone do Facebook Branco

© 2019 por Escriba Comunicação & Consultoria. Criado com Wix.com