• Cidade da Bahia

No dia da Independência, viva a Avenida Sete!


No mesmo dia do Grito do Ipiranga de Dom Pedro I em São Paulo e da primeira transmissão de rádio no Rio de Janeiro, na Exposição internacional do Centenário, a soteropolitana Avenida Sete faz aniversário. E faz passando por obras de revitalização, a cargo da Prefeitura de Salvador. Em 104 anos de existência, a avenida passou por muitas mudanças e incorporou no seu trajeto as próprias contradições da cidade, indo do Farol da Barra à Praça Castro Alves, unindo, ao longo seus 4,6 quilômetros, áreas nobres e zonas de comércio de rua, além dos grandes circuitos do Carnaval da Bahia.


Inaugurada em 7 de setembro de 1915, a avenida era inicialmente ocupada por residências. A partir dos anos 20 do século passado, começaram a se instalar as primeiras lojas no trecho entre o Campo Grande e a Ladeira de São Bento. O auge do comércio, no entanto, foi nos anos 60, seguido por um processo de popularização, com o surgimento do antigo Shopping Iguatemi e a migração das grandes lojas.


Planejada pelo então governador da Bahia, J.J. Seabra, a construção da Avenida Sete fez parte de um plano de remodelação urbana no núcleo histórico de Salvador que incluía outras vias. É considerada a mais importante intervenção viária realizada na capital baiana na primeira metade do Século XX. A justificativa para a construção era a necessidade de interligar a região central, onde se concentravam as empresas, o comércio, às áreas residenciais da aristocracia, como Graça, Corredor da Vitória e Barra, que até hoje são consideradas nobres. Também tinha a justificativa de melhorar as condições de saneamento urbano.


Conforme relatos, as obras trouxeram efeitos "traumáticos" para a antiga Salvador, por ter seguido os moldes do urbanismo destruidor. Para abrir a avenida e alargar outras vias no entorno, foram derrubados casarões antigos, quarteirões inteiros, provocando perdas irreparáveis de patrimônios dos séculos XVIII e XIX, como a antiga Igreja de São Pedro (onde está atualmente o relógio de São Pedro). Uma ala esquerda do Senado estadual, que hoje abriga o Instituto Histórico e Geográfico da Bahia, também foi demolida para a abertura de uma rua. O Mosteiro de São Bento teria sido outra baixa, mas os religiosos se uniram contra a medida, ganharam apoio popular e a construção permaneceu no local.


Quase dez meses depois do Grito do Ipiranga, a Independência do Brasil se consolidou em Salvador, no dia 2 de Julho de 1823, com a derrota das tropas portuguesas. Menos de três anos após primeira transmissão radiofônica, a Rádio Sociedade da Bahia entrava no ar, em 14 de abril de 1925. Daqui a três anos, em 2022, o Brasil vai comemorar o bicentenário da independência e o centenário da rádio. Bons motivos para festejar, quem sabe tendo como cenário uma renovada Avenida Sete.


*Foto de projeto urbanístico do início do Século XX e da Ladeira da Barra (Avenida Sete) por volta de 1885.


*Por falar em Independência do Brasil, confira a crônica "O império sob censura" clicamdo AQUI

Receba nossas atualizações

  • Cidade da Bahia
  • Ícone do Facebook Branco

© 2019 por Escriba Comunicação & Consultoria. Criado com Wix.com