Receba nossas atualizações

  • Cidade da Bahia
  • Ícone do Facebook Branco

© 2019 por Escriba Comunicação & Consultoria. Criado com Wix.com

  • Cidade da Bahia

Lavagem de Itapuã celebra 115 anos de tradição


A tradicional Lavagem de Itapuã, que acontece no bairro há 115 anos, será realizada nesta quinta-feira, 13 de fevereiro. A celebração é a última festa popular de Salvador antes do Carnaval e é marcada pela lavagem da escadaria da Paróquia Nossa Senhora da Conceição.

Os preparativos para a festa começaram já durante a madrugada, quando os moradores saem pelo bairro em um bando anunciador, convidando a comunidade para a festa. Por volta das 7h, uma missa será realizada na Paróquia Nossa Senhora da Conceição e, depois, a igreja será fechada.


Realizada desde o Século XIX a Festa de Itapuã nasceu da devoção dos pescadores a Nossa Senhora da Purificação e por isso era celebrada originalmente em 2 de fevereiro. Mais tarde, a partir da década de 1930, passou a ser realizada como devoção à Nossa Senhora da Conceição de Itapuã em data móvel, na quinta feira que antecede o Carnaval. O registro mais antigo do evento é de 1898, uma nota de jornal que descreve a Chegança, dança de mouros e divertimentos como o tradicional quebra-potes.


O jornal informava: “em vista de não haver transporte para aquele aprazível lugar e o dia ser de grande concorrência a Companhia Baiana resolveu dar vapores para lá pelo diminuto preço de 500 reis por ida e volta”.


Era por tanto uma festa acessível ao público principalmente pelo mar e assim foi até a definitiva abertura da Avenida Oceânica na década de 40. Há um detalhe que cabe aqui ressaltar em relação aos primórdios deste evento: ocorria uma romaria de pescadores com oferendas a Iemanjá e que antecedeu em alguns anos à oferenda das Festas do Rio Vermelho.


A festa completa 115 anos em 2020 e todos os anos reúne pescadores, baianas, ciclistas, capoeiristas e cavaleiros, em um misto de festa religiosa e lúdica. O ponto alto é a lavagem das escadarias da Igreja de Nossa Senhora da Conceição, na Praça Dorival Caymmi. O ritual começou há mais de 27 anos, com Dona Niçu, antiga moradora do bairro que, depois de comemorar e agradecer à padroeira de Itapuã, oferecia um café da manhã à comunidade.