• Cidade da Bahia

Lançamentos marcam o aniversário da República


Quatro garotos formam uma banda de rock nos anos 80, no período da redemocratização do Brasil, que dura tanto quanto a adolescência deles e termina sem sucessos, discos gravados ou shows profissionais. Neste clima de contestação e descobertas da recém-conquistada liberdade se desenvolve a trama do romance “O som do tempo passando”, que o autor, Victor Mascarenhas, lança nesta sexta-feira, 15 de novembro, das 11h às 13h, no aniversário da República (365 dias), no Pelô.


A comemoração de aniversário da República também contará com lançamentos de outros livbros, como "Dias e noites", de Toni Araújo; "Entre batidas e batuques", de Silvio Rosário; "As Margens do Paraíso", de Lima Trindade, e "Criaturas que o mundo esqueceu", de João Carlos Rodrigues. A programação inclui ainda os espetáculos "Surf no Caos" e "Chiquita com Dendê", com Rita Assemany, "Fragmentos de voz", com Carlos Betão, e música nas vozes de Wil Carvalho e Eneide Lima e no violão de Rudnei Monteiro. Ingressos para não sócios da República a R$ 15, reservas pelo WhatsApp (71) 996527626.


Quinto livro de Victor, “O som do tempo passando” é o primeiro lançamento da Cafeína Produção de Conteúdo, o selo do próprio autor, que, no melhor espírito independente do rock, resolveu assumir o comando da sua carreira e sair do esquema das editoras tradicionais. O livro narra o encontro dos jovens guitarristas Ricardo e Henrique, o baixista Aílton e o baterista Miguel, e o reencontro – mais de trinta anos depois – do entediado e bem sucedido advogado Ricardo, com o rockstar fracassado Henrique, o silencioso e talentoso músico Aílton e o simpático professor de história Miguel. O pretexto é um ensaio da velha banda, o repertório são as lembranças e diferenças entre o que eles sonhavam ser e o que se tornaram, e a trilha é o bom e velho rock’n’roll.


Victor Mascarenhas é escritor e roteirista. Sua carreira literária começou em 2008, quando venceu o Prêmio Braskem Cultura e Arte, da Fundação Casa de Jorge Amado, e lançou “Cafeína”, prefaciado pelo escritor Fausto Fawcett, que definiu assim a obra: “Os doze contos de ‘Cafeína’ são um passeio dantesco por vidinhas que andam em círculos de imobilidade mental, social, sentimental… Victor sabe muito bem derramar sal na ferida das vidas vazias”. Um dos contos do “Cafeína”, “Leão-marinho”, foi adaptado para o cinema pela Oi Kabum em 2010 e exibido no Festival do Rio, em 2012.


Seu segundo livro, “A insuportável família feliz”, foi lançado em 2011, mesmo ano em que o autor foi finalista do Prêmio OFF Flip de Literatura. Em 2013, um dos contos desta obra foi adaptado para história em quadrinhos, na graphic novel “Billy Jackson”, em parceria com o premiado ilustrador Cau Gomez, considerada uma das melhores do ano pelo site Universo HQ. Ainda em 2013, saiu “Xing Ling made in China”, uma ficção científica farsesca e distópica que, segundo a crítica literária Andreia Santana, do jornal A Tarde, “remete aos versos de escárnio do poeta colonial Gregório de Matos”.


Dois anos depois, foi publicado “Um certo mal-estar”, mais um volume de contos, reunindo textos premiados e publicados em antologias, sites e jornais literários Brasil afora. Segundo o antropólogo e escritor Antonio Risério, “Victor se revela um escritor cada vez mais consistente e imaginativo. E, ao contrário de nossos lamentáveis ‘contistas filosóficos’, sublispectorianos, ele não só tem o que contar, como sabe fazê-lo muito bem”.


Nos últimos anos, Victor tem se dividido entre a literatura e o audiovisual, tendo escrito o longa-metragem “Tonho”, em parceria com o cineasta francês Bernard Attal, e trabalhando no desenvolvimento de uma série para TV, baseada em um dos seus contos, para a Turner Internacional. Em 2019, após participar do circuito Arte da Palavra do Sesc, dando oficinas literárias em diversas cidades do país (Salvador – BA, Campo Grande e Corumbá – MS, Joinvillle e Jaraguá do Sul – SC), está lançando “O som do tempo passando”.

Receba nossas atualizações

  • Cidade da Bahia
  • Ícone do Facebook Branco

© 2019 por Escriba Comunicação & Consultoria. Criado com Wix.com