Receba nossas atualizações

  • Cidade da Bahia
  • Ícone do Facebook Branco

© 2019 por Escriba Comunicação & Consultoria. Criado com Wix.com

  • Cidade da Bahia

Agora que você está em casa, que tal visitar um museu?



Ficar em casa colaborando com o plano de contenção ao coronavírus pode ser a oportunidade para visitar um museu. A aparente contradição se explica pela grande variedade de opções de visitações virtuais oferecidas por alguns dos mais importantes museus do mundo, que permitem um passeio interativo pelas instalações e acervo. Assim é possível, por exemplo, visitar o Louvre de Paris ou o Hermitage de São Petesburgo sem sair de casa. E o melhor ainda: sem gastar passagem de avião, hospedagem e ingresso.


No Brasil também há algumas boas iniciativas de “museus virtuais”. Um dos casos mais interessantes é o do Museu Nacional do Rio de Janeiro. Apesar de ter sido destruído por um incêndio em 2 de setembro de 2018, teve sua versão digital preservada graças a um projeto com pareceria do Google, o que permite uma visitação virtual ao antigo prédio histórico e seu acervo em grande parte perdido. Outra opção interessante é o Memorial Minas Gerais, situado em Belo Horizonte, que possibilita uma visitação remota ao prédio histórico, à história e à cultura mineiras. Se você está pronto para iniciar esta viagem, não se preocupe com bloqueios, voos suspensos, ambientes fechados, máscaras cirúrgicas ou estoque de álcool gel. Basta acessar o endereço na web e boa viagem.



A presença dos grandes museus nas plataformas virtuais, como o Louvre, se tornou uma tendência nos últimos anos. Mesmo sem substituir a experiência de uma visita física, a criação e a manutenção de tours virtuais resolvem principalmente os problemas da necessidade de grandes deslocamentos para se conhecer obras de arte únicas, além da história e da cultura de cidades e civilizações. Para um museu físico é um apoio importante na divulgação das suas obras e para serviços como a venda de tickets para as visitas físicas, mas já existem muitas experiências de memoriais exclusivamente virtuais. Para o visitante é uma experiência cada vez mais próxima da realidade para conhecer importantes acervos sem precisar gastar muito tempo e dinheiro.



Muitos museus tradicionais permitem uma visita interativa em 3D a uma versão virtual do seu espaço real. Um dos mais completos, neste sentido, é o Museu Hermitage, em São Petesburgo, Rússia, um dos maiores do mundo. Além de caminhar virtualmente pelos corredores e salas do museu, os visitantes podem clicar e obter informações sobre cada uma das obras expostas. No Brasil, experiência semelhante, em menor escala, é oferecida aos visitantes pelo Museu Casa de Portinari, em Brodowski, SP, que tem parceria do governo de São Paulo.



Duas destas iniciativas importantes também ocorreram em Belo Horizonte e, mais recentemente, no Rio de Janeiro. Na capital mineira, se destaca o Memorial Minas Gerais Vale (http://memorialvale.com.br/pt/visite/visita-virtual/), que serviu de inspiração para a implantação, no dia 28 de agosto de 2019, do Museu Rio Memória, na capital fluminense.



Enquanto a experiência mineira ampara um museu físico e conta com o aporte da mineradora Vale do Rio Doce, a iniciativa do Rio antecipa a implantação do espaço físico e tem patrocínio da Prefeitura da cidade, por meio da Secretaria de Cultura, e das empresas Estácio, Concrejato e Concremat, através da Lei Municipal de Incentivo à Cultura – Lei do ISS.



No caso do Rio Memória, a inauguração aconteceu com a abertura de duas galerias, “Descubra o Rio” e “Linha do Tempo”, permitindo que o visitante acesse cerca de 80 fotos, além de vídeos e áudios, nas exposições “Rio Desaparecido” e “Rio de Sons”, onde se pode ouvir o canto de torcidas no Maracanã ou o badalar de sinos na Igreja da Candelária.



Cabe aqui um aparte sobre a importância da multiplicidade de plataformas na preservação da história. Três meses após o incêndio que destruiu o Museu Nacional, no Rio, era possível fazer um tour virtual pelas salas do antigo prédio e seu acervo. O projeto Descubra o Museu Nacional foi viabilizado pelo Google, que através do Google Earth já levou para o universo virtual boa parte do mundo, e demonstra a evolução desta tecnologia.


CONFIRAM OUTROS MUSEUS COM ACERVOS VIRTUAIS


Japanese Art Museum in The Cloud

National Museum of US Air Force

American Museum of Natural History

My studios

RTP Museu Virtual

Era virtual

Museu Virtual UnB

Museu Virtual do Transporte

Museu Virtual Memória da Propaganda

Museu da Pessoa

Museu do Futebol

Museu Virtual do Iraque

Museu Virtual Aristides Sousa Mendes

Art-Bonobo

Museu Oscar Niemeyer

Museu da Faculdade de Medicina UFRJ

Virtual Museum of Canada

Museum With no Frontiers

Virtual Egyptian Museum

Museu do Instituto Geográfico Português


*Alguns sites podem apresentar problemas para visitação em função da manutenção, mudanças ou do excesso de acessos, assim como ter poucas opções de interatividade, exigir atualizações de programas (Flash Player) ou incluir conteúdos ou oferta de produtos pagos.